SE EU FICAR

“Não é incrível como a vida é uma coisa e, então, de repente, se torna outra?”, pergunta-se personagem central. Ela se refere ao acidente automobilístico que vitimizou os seus velhos, logo no início do filme. O mote é interessante. A garota sobrevive, mas é internada em estado de coma.

A partir daí, a história se desenvolve em duas linhas paralelas. Através deflashbacks, passamos a conhecer a menina tímida dedicada ao violoncelo, que se apaixona pelo guitarrista popular mais velho. Ao mesmo tempo, acompanhamos a luta de Mia pela sobrevivência, circulando “literalmente” pelos corredores do hospital, pesando se vale a pena continuar a viver depois da tragédia.

Conhecendo o passado (flashbacks) dos personagens, fica difícil não se apegar à família que muitos gostariam de ter como sua. E é aí que o filme “para chorar” cumpre seu objetivo.

“Uma mistura hábil e bem orquestrada entre romance, música e tragédia. O filme vai provavelmente deve ser mais sedutor para jovens mulheres, mas com Chloë Grace Moretz atuando, ele deve funcionar muito bem com este público”. Screen International

safe_image

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s