TUDO POR JUSTIÇA

A sequência de abertura de Tudo por Justiça é impactante. Ao invés dos amassos tradicionais em momentos como este, há um clima ameaçador e estranho no ar. O enquadramento preciso, o clima sombrio e a bela atuação de Woody Harrelson apontam: vem coisa boa por aí!

A história acompanha Russell (Christian Bale), um homem de classe média baixa que seguiu a “tradição da família” e trabalha em uma fornalha. Na verdade não há muito emprego na cidade onde ele vive, breve retrato da crise econômica vivida pelos Estados Unidos nos últimos anos.

A união entre estes dois momentos é que faz a história se desenrolar. Questionamentos sobre a vida diária e o próprio país surgem aqui e ali, especialmente em relação à situação daqueles que lutaram na Guerra do Iraque ao retornar aos Estados Unidos. Entretanto, com o desenrolar da história, nota-se que o interesse do diretor não é propriamente retratar este universo, mas sim fazer uma analogia entre a justiça de fato e a dos tribunais.

Os atores, em sua totalidade, estão em momentos maduros de suas carreiras e o diretor tratou de aproveitar isso a seu favor.

“Com um elenco invejável, contando ainda com pequenas participações de Sam Shepard e Forest Whitaker, “Tudo por Justiça” pode não apresentar arroubos de criatividade em seu roteiro, mas como uma trama de vingança pura e simples, consegue entreter”. Papo de Cinema

318205

https://www.youtube.com/watch?v=oE3M5jCZRx0

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s